Depoimentos

Depoimentos da edição de 2015

“O Arquivo em Cartaz é um festival muito importante. Principalmente agora que está sendo coordenado pela Universo Produção, tem tudo para certo. As diretoras da Universo Produção são pessoas organizadíssimas e já tem uma tradição com arquivos e acervos através da CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto, evento este, que já é um arquivo em cartaz. A ideia desse festival é ótima, e é uma boa maneira do Arquivo Nacional se posicionar.”
Alice Gonzaga, diretora da Cinédia

“Acho super importante esses debates que acontecem quase que anualmente na CineOP e agora no Arquivo em Cartaz. Uma coisa muito interessante debatida aqui, foi frisar a  importância dessa interdisciplinaridade entre as diversas Ciências. Acho que o cinema precisa ser tratado como uma Ciência de documentação, não só como uma escola de produção e qualificação, mas é necessário mergulhar na arte da preservação como um todo.”
Maria Thereza Kahl Fonseca,  diretora técnica do Museu de Imagem e Som – MIS - RJ

“A importância de um evento como o Arquivo em Cartaz é o fato de multiplicar ainda mais a visibilidade da área da preservação, do trabalho da preservação e dos resultados desse trabalho. Eventos como esse, não só divulga, mas sensibiliza públicos cada vez mais amplos e traz novos olhares para uma tarefa que é gigantesca, complexa e cara, mas que é sobretudo, voltada para a população no sentido mais amplo. Então ter um número cada vez maior  de iniciativas como esta, é atuar no melhor sentido possível para fazer o trabalho de preservação. Um festival é sempre uma forma de acesso. Quando o festival é dedicado  ao universo da preservação, têm um duplo acesso, ou seja, um  acesso aos objetos, as obras e aos materiais e também, acesso a reflexão sobre eles e aos profissionais que exercem a tarefa de preservar esse patrimônio. Com isso, abre-se a área de preservação para um contato com o público, que geralmente ela não tem, ganhando assim, uma visibilidade, e automaticamente cria-se uma multiplicação extraordinária de todo o trabalho desenvolvido dentro dos acervos.”
Hernani Heffner, conservador chefe da Cinemateca do MAM - RJ

 “A ideia do Arquivo em Cartaz é tirar das prateleiras os filmes que aqui são preservados. Durante esses dias, pudemos refletir sobre o trabalho da preservação audiovisual e importância dela para o passado o presente e o futuro. Através dos arquivos, tivemos a oportunidade dever um filme bem legal (Família Movie), que apresenta imagens do cotidiano de família, pudemos ver e conhecer as transformações da cidade do Rio de Janeiro, a construção do Cristo Redentor, o trajeto da barca da Baía de Guanabara. O filmes de arquivo possibilitam mergulhar no tempo e conhecer um pouco da nossa própria história.”
Antônio Laurindo, curador do Arquivo em Cartaz

“O Arquivo em Cartaz está de parabéns. Assistir filmes ao ar livre e nesse lugar maravilhoso, que é o pátio do Arquivo Nacional é extremamente gratificante. Poder conhecer, através da tela, um pouco da história do Rio de Janeiro, é muito legal. Muitas vezes com a correria do dia a dia, acabamos passando por toda a beleza da cidade e todos esses monumentos históricos e nem percebemos a importância que isso tem para a nossa própria história. Vida longa ao Arquivo em Cartaz.”
Jorge Cavalcanti, estudante de Comunicação Social pela Uerj

“Participar da oficina Lanterna Mágica foi super interessante. Acho que todo mundo se desempenhou muito durante a oficina e todos mereciam o troféu Batoque. Ter esse contato com os arquivos, com as latas, os filmes, e ter a chance de utilizar imagens para a produção de um curta, e ainda, ter a oportunidade de ver o produto final projetado na tela é muito legal. Só tenho a agradecer todas as orientações do Joel Pizzini, que passou muito do que ele sabe pra gente e ao Arquivo em Cartaz pela organização de tudo isso.”  
Maria Byington, diretora do filme Sincrocinecidades